AUSTRÁLIA

Restaurante que faz referências a Pablo Escobar gera polêmica na Austrália

A lanchonete Pablo’s Escoburgers utiliza como logotipo uma caricatura do chamado “rei da cocaína” morto em Medellín em 1993

Cedida pelo restaurante. EFE

Um fast-food que tem o nome inspirado no falecido narcotraficante colombiano Pablo Escobar, no qual são servidos pratos adornados com imitações de cocaína e cédulas enroladas como canudos, gerou polêmica na Austrália.

A lanchonete Pablo’s Escoburgers, situada em um bairro de Melbourne frequentado por hispters, utiliza como logotipo uma caricatura do chamado “rei da cocaína” morto em Medellín em 2 de dezembro de 1993 por disparos da polícia e a quem são atribuídos mais de 5 mil assassinatos e centenas de atentados terroristas.

Em sua página do Facebook, o negócio mostra fotografias do menu que inclui um hamburguer decorado com uma “carreira” de alho em pó, simulando a cocaína, e uma réplica de uma nota de US$ 100 incrustada no pão.

Outra foto mostra o hambúrguer com um saquinho de alho em pó com uma colher de chá, recriando o mundo do narcotraficante cuja figura inspirou livros, filmes e séries, e chegou a ser idolatrado por alguns.

O restaurante tentou minimizar a polêmica e afirmou na rede social que sua iniciativa empresarial inspirada no também conhecido “padroeiro do mal” não tem a intenção de ofender ninguém.

“Temos orgulho de nossos hambúrgueres, mas também entendemos que Pablo Escobar era um homem horrível que destruiu as vidas de milhares de colombianos. Não perdoamos, idolatramos ou promovemos as ações de Pablo Emilio Escobar”, afirma o restaurante.

“Mas somos australianos e sabemos como nos divertir e rir com um bom trocadilho (…) Muitos colombianos desfrutaram de nossos hambúrgueres e outros fizeram críticas terríveis e comentários ruins no Facebook, como se parecesse que o próprio Pablo esteve aqui”, acrescenta.

Cedida pelo restaurante. EFE

As explicações não evitaram as reações de colombianos e latino-americanos na Oceânia, assim como de australianos que se envolveram em acaloradas discussões a favor e contra a ideia do restaurante.

A colombiana Elizabeth de Castro pediu ao restaurante que mude o nome e não alimente o estigma contra seus compatriotas (#changethename #changetheestigma) em mensagem no Facebook do estabelecimento.

Seu comentário foi respondido por outro usário da rede, Aaron Jaluis, que recomendou que se concentrasse nela mesma porque trata-se apenas do nome de um hambúrguer (#focusonyou #onlyahamburger).

Jalius, além disso, sugeriu à lanchonete que receba seus clientes com a canção “Tuyo” de Rodrigo Amarante, popularizada como trilha sonora da série “Narcos“, da Netflix.

Outros mais indignados como Mark Newton comentaram: “Que tal um hambúrguer do atentado de Bali?”, em alusão ao atentado com bomba da Jemaah Islamiya que matou 88 australianos em 2002.

“Que tal Adolf’s hitlerburguers? Soa divertido? #Changenamenow“, disse outra usuária. “Talvez deveria fazer um hamburguer Auschwitz para ofender a todos os judeus”, completou.

“É apenas mais um exemplo de hipsters tentando chamar a atenção porque sua comida é medíocre. Meh!”, opinou outro usuário da rede social.

A comunidade colombiana na Austrália, que segundo dados oficiais de 2016 é formada por cerca de 19 mil pessoas, é muito ativa na hora de enfrentar estereótipos que a vincula com o tráfico de drogas.

Em 2014, a embaixada da Colômbia na Austrália enviou um protesto à emissora “Triple M” pelos “comentários degradantes e ofensivos” emitidos por dois locutores, que disseram em um programa de comédia que todos os colombianos consomem cocaína.

“Todo mundo (na Colômbia) tem, consome e vende (cocaína). Ouvi de pessoas que viajaram para lá e que dizem que é muito louco”, comentaram os locutores Matt Tilley e Joe Hildebrand.

Marcados com: , ,
Publicado em Gastronomia

Turismo TV <p>Bolso con estampados típicos españoles. Foto: Grupo LK</p>
Ver vídeo

Quais lembrancinhas os turistas levam da Espanha? (em espanhol) duração: 2.05

Ver mais vídeos

As mais no Efetur

Tags