TAIWAN

Fechamento do último restaurante de cobras em Taipé marca fim de uma era

Por seis décadas, o Beco das Serpentes foi um importante local no tradicional Mercado de Wanhua, que reúne bordeis, artistas de rua e restaurantes que servem sopa de cobra.

EFE/ David Chang

O popular Beco das Serpentes, o último restaurante a servir sopa de cobra na rua Huaxi, em Taipé, fechou nesta segunda-feira, fazendo desaparecer uma das mais exóticas atrações turísticas da capital de Taiwan.

“O fechamento deste símbolo da tradição deixa um sabor amargo. É como se acabasse uma época em Taiwan”, disse à Agência Efe a professora Florencia Huang, que participou da cerimônia de encerramento do histórico espaço, onde os répteis vivos também foram protagonistas.

Por seis décadas, o Beco das Serpentes foi um importante local no tradicional Mercado de Wanhua, que reúne bordeis, artistas de rua e restaurantes dedicados a esta culinária, frequentado por famílias com crianças e pessoas interessadas em sexo.

O negócio da prostituição, que tinha como principais clientes soldados do exército de Chiang Kai-shek, corria paralelamente aos restaurantes de pratos afrodisíacos, como o de sopa de serpente ou a carne de tartaruga, lembrou o proprietário do restaurante, Kuo Yi-chien, nesta segunda-feira.

EFE/ David Chang

O pai de Kuo era um grande especialista em serpentes e tinha um orangotango treinado para capturar as cobras. Ele foi a estrela de uma época dourada para o negócio, mas agora já não é o mesmo.

“Com a maior conscientização sobre a proteção aos animais, foi determinada a proibição do massacre de espécies protegidas há alguns anos e isso fez diminuir as visitas e o trabalho do restaurante”, explicou o proprietário do Yàzhou shé ròu diàn, em chinês, algo como “Loja de serpentes asiáticas“.

Durante a “época áurea”, dos anos 1970 até os 2000, o Beco das Serpentes oferecia espetáculos noturnos centrados na morte das cobras, lembrou o encantador do restaurante, Hung Ting-fu, de 70 anos, que perdeu dois dedos nessa atividade depois de ser picado.

Muitos passaram por lá atrás de tratamentos de pele, em busca de uma cura para a asma, diabetes e até problemas nos olhos, entre outras questões.

“A pele fica muito lisinha e melhora muito, mas agora não poderei mais vir aqui”, lamentou Chang Mei-li, uma senhora que se orgulha do seu rosto bonito.

EFE/ David Chang

Já a empresaria Alice Lee, ressaltou o fim de um antigo hábito. “Faz mais de 20 anos que não tomo sopa de serpente. A última vez que tomei foi meu avô quem preparou na sua casa. Parece que este fechamento marca o fim de uma tradição“, disse.

A rua Huaxi não era frequentada apenas por locais, pessoas de outras partes do mundo também iam até lá em busca de algo realmente exótico para ver e contar na volta da viagem.

“Os turistas estrangeiros estão perdendo uma das suas estrelas de Taipé. Agora, poderão apenas ouvir a história em vez de vê-la”, destacou a guia turística Ana Chang.

Apesar do fechamento do restaurante, os mercados noturnos de Taiwan continuarão vendendo pratos com a carne ou o sangue de serpente, mas, o consumo da sopa com a cobra como ingrediente principal, esse sim, será mais difícil.

EFE/ David Chang

Marcados com: , , ,
Publicado em Colunas