CALIFORNIA

Vale do Silício se transforma em destino turístico

Entre as paradas mais populares estão o jardim com os bonecos do sistema operacional Android no campus do Google em Mountain View, a loja da Apple na sede, em Cupertino

Foto: Divulgação

O Vale do Silício se transformou em um destino turístico cada vez mais cobiçado pelos amantes da tecnologia, que peregrinam à Meca californiana para visitar as sedes do Google, da Facebook, da Apple e outros lugares emblemáticos.

“Oferecemos excursões personalizadas de entre quatro e seis horas pelo Vale do Silício para seu grupo”, anuncia a San José Vale do Silício Tours, uma das muitas companhias que oferecem passeios pela capital mundial da tecnologia.

A empresa turística cobra US$ 100 por pessoa para um grupo de no mínimo de 25. Entre as paradas mais populares estão o jardim com os bonecos do sistema operacional Android no campus do Google em Mountain View, a loja da Apple na sede, em Cupertino; o cartaz com o ícone do “like” nos escritórios do Facebook e o Museu da História do Computador.

Os potenciais clientes também são seduzidos com a promessa de “provar a vida da alta tecnologia” durante o almoço em uma das cafeterias corporativas ou em algum dos locais preferidos dos investidores de alto risco.

Outra empresa que oferece esse tipo de passeio, a Tours By Locals, diz que a viagem para visitar os titãs tecnológicos da região foi ano passado o passeio mais popular dos 14 roteiros que oferece pela baía de San Francisco.

Guias turísticos da Tours By Locals, como Caesar Cypriano, destacaram que as selfies são essenciais no percurso.

“Eles publicam todas essas selfies nas redes sociais e depois as pessoas do outro lado do planeta dizem ‘maneiro’, gostaria de estar lá'”, disse Cypriano ao jornal “San José Mercury News”.

Como um gadget, não é barato

A Tours By Locals oferece excursões de nove horas a até seis pessoas por US$ 565; a Golden Horizon tem excursões de oito horas para grupos de até sete pessoas por entre US$ 698 e US$ 973; e a Friend in Town tem visitas de oito horas individuais ou para grupos de até seis pessoas por tarifas que vão de US$ 570 a US$ 690.

Os tours guiados incluem também paradas no número 367 da Avenida Addison, na cidade de Palo Alto, onde está a garagem batizada de “lugar de nascimento de Vale do Silício”, onde a Hewlett Packard começou no final da década dos 30.

Outra das emblemáticas garagens está no número 232 da Avenida Santa Margarita, na cidade de Menlo Park, onde os jovens Larry Page e Serguei Brin criaram a que se tornou uma das companhias mais valiosas do mundo: Google, que comprou a casa e a garagem em 2006 para preservar parte de seu legado.

Visitas de autoridades

O Vale do Silício é parada obrigatória também para os líderes mundiais durante suas visitas oficiais aos Estados Unidos, assim como para altos funcionários da Casa Branca.

O atual inquilino da Casa Branca, Barack Obama, visitou a região há pouco tempo para participar de uma cúpula global de empreendedores.

Entre os dignatários estrangeiros que desfilaram pela região estão o primeiro-ministro de Índia, Narendra Modi, o presidente da China, Xi Jinping, a presidente brasileira, Dilma Rousseff e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe.

A popularidade de Meca tecnológica é tamanha que, em 2014 foi inaugurado o Escritório de Protocolo de Vale do Silício, uma organização sem fins lucrativos que ajuda a organizar reuniões para as delegações estrangeiras, assim como a coordenar encontros com os dignatários estrangeiros e a informar aos empresários da área sobre as sutilezas da alta diplomacia internacional.

Para Modi, primeiro-ministro da Índia, a passagem pela Califórnia e pelo Vale do Silício é obrigatória, por ser, explicou durante sua visita no final do ano passado, “um dos últimos lugares do mundo onde o sol se põe, mas o primeiro em que novas ideias veem a luz do dia”.

Turismo TV <p>Bolso con estampados típicos españoles. Foto: Grupo LK</p>
Ver vídeo

Quais lembrancinhas os turistas levam da Espanha? (em espanhol) duração: 2.05

Ver mais vídeos

Tags