República Dominicana: paraíso de cor, sabor e ritmo

A República Dominicana é um paraíso de cores, desde o azul turquesa do mar ao branco das casas coloniais; de cheiros, de mariscos às frutas; e de ritmos latinos.

Punta Cana. Foto cedida pelo Ministério do Turismo da República Dominicana.

Entrar na República Dominicana é entrar em um mundo onde a cor dos edifícios coloniais e da água de um turquesa profundo se mescla à gastronomia baseada em frutas e mariscos, tudo envolto em ritmos latinos, que batem em todo o país caribenho.

Olá, Santo Domingo. Ao chegar, a primeira sensação é o golpe de umidade, típico de um país que se vangloria de sua condição de caribenho. Assim que o corpo se aclimata ao calor, é hora de descobrir tudo o que esse destino, que ocupa dois terços da ilha espanhola – dividida com o Haiti – oferece.

A capital da República Dominicana está pronta para surpreender o turista com patrimônios históricos, museus, gastronomia, praias paradisíacas e um povo amável e carinhoso.

Cidade Colonial de Santo Domingo. Foto cedida pelo Ministério do Turismo da República Dominicana.

Cidade Colonial de Santo Domingo. Foto cedida pelo Ministério do Turismo da República Dominicana.

Os mais de cinco milhões de estrangeiros visitam o país a cada ano descobrem uma cidade colonial reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. O coração turístico de Santo Domingo se estende por um quadrado formado por 16 pequenas ruas salpicadas de joias arquitetônicas dos séculos 16 a 20, que se intercalam com dezenas de vendedores ambulantes que oferecem sucos tropicais para aplacar a sede.

Entre as paradas imprescindíveis está o Parque Colón, de arquitetura colonial, republicana e moderna cercada por árvores e pombas brancas, que tem a estátua de Cristóvão Colombo, descobridor da América (em espanhol Cristóbal Colón), ao centro.

Vale a visita ao Alcazár de Colón, um palácio de estilo gótico e renascentista, construído em 1512 por Diego, filho de Colombo, e sua esposa, Maria de Toledo, sobrinha do então rei da Espanha. É considerada a residência vice real mais antiga da América.

Entre as ruas do centro da capital está o Forte Ozama, a primeira estrutura militar permanente construída pelos espanhois na América, no começo do século 16. A torre de cinco andares e a plataforma de vigilância tem vista panorâmica para o rio Ozama, que corta a cidade. O Museu de Casas Reais traça o percurso da história do país, desde 1492 até sua independência da Espanha, em 1821.

Imperdível também é o Farol de Colón, terminado em 1992, onde repousam os restos do famoso explorador europeu, e que tem uma exibição permanente de objetos históricos. Passeio que pode ser seguido por uma caminhada pelo píer, de 14 quilômetros de extensão em frente ao mar do Caribe.

Há inúmeras lojas pelo caminho, onde é possível comprar especialidades dominicanas, como charutos, rum, chocolate, café, âmbar e larimar – pedra semipreciosa de uma cor azul profunda, típica da ilha – e inúmeros restaurantes para saborear as especialidades locais com orégano, alho, cebola, pimentas, tomates e alcaparras.

Outro popular destino da República Dominicana é Punta Cana, onde está boa parte dos 1.600 quilômetros de costa e 400 km de praia do país. O cenário está salpicado de grandes complexos hoteleiros, resorts na beira do mar.

Punta Cana. Foto cedida pelo Ministério do Turismo da República Dominicana.

Punta Cana. Foto cedida pelo Ministério do Turismo da República Dominicana.

Essa parte da ilha se vale de sua areia branca, sua água turquesa e coqueiros a beira-mar para conquistar o viajante. A região de Punta Cana ainda tem 11 campos de golfe.

À noite é hora de dançar ao ritmo do merengue em um dos vários clubes que existem na cidade. Como o Coco Bongo, que fica dentro do centro comercial Down Town Punta Cana, entre exclusivos restaurantes e as centenas de turistas que passam por ali, praticando os passos que dão ao lugar uma atmosfera de festa sem fim, onde os shows, os acrobatas, os tributos a grandes artistas latinos, as surpresas e a mais moderna tecnologia farão o resto.

Da estrada recém inaugurada é fácil chegar a outros pontos da ilha, como La Romana, luxuoso destino cheio de vilas particulares – que podem ser alugadas para temporada, galerias, lojas, campos de golfe, praias e extensos canaviais. Se deixe levar na ilha Saona, que fica no Parque Nacional do Leste, um paraíso na terra que é considerada a atração mais visitada do país.

Ilha Saona, na República Dominicana.

Ilha Saona, na República Dominicana.

Outros cantos que valem a pena ser descobertos são Samaná, Puerto Plata, Santiago e Barahona, destinos que se destacam pelas atrações naturais, história e riqueza turística.

República Dominicana

Localização: ocupa dois terços da parte leste da ilha La Española, o resto é o Haiti
Superfície: é o segundo maior país do Caribe, com 48.442 quilômetros quadrados
Capital: Santo Domingo
Aeroportos: seis aeroportos oferecem voos diretos às principais cidades da América Latina, Estados Unidos, Canadá e Europa. En 2015, a maioria dos voos aterrissaram no aeródromo de Punta Cana (52,1%), seguido por Santo Domingo (28,2%), Santiago (10,3%), Puerto Plata (6,4%), La Romana (1,7%) y Samaná (1%)
Mares: é rodeada pelo Oceano Atlântico ao norte e pelo Mar do Caribe ao sul
População: são mais de 9,9 milhões de habitantes
Hora: GMT -4, entre uma e duas horas a menos que o Brasil, dependendo do horário de verão brasileiro
Idioma: o oficial é o espanhol, mas muitos dominicanos falam inglês, francês e alemão
Moeda: peso dominicano (RD$): R$1 vale RD$ 15
Clima: é tropical o ano inteiro, com temperaturas médias entre 19°C e 34°C. Os meses mais frios vão entre novembro a abril, e os mais quentes de maio a outubro.
Golfe: a ilha possui mais de 25 campos de golfe.
A República Dominicana recebe turistas principalmente de Estados Unidos (41,4%); Canadá (15,4%), Alemanha (5,1%), França (4,7%) e España (3,6%).
Hoteis: até dezembro de 2015 o país tinha 723 hoteis e 69.816 acomodações.
Gastronomia: entre as especialidades se destacam a bandeira dominicana: carne guisada ou frita com arroz, feijão e chips; a cerveja Presidente, o rum, o café, e frutas como abacaxi, papaia, melão, goiaba e manga
Fundamental botar na mala: filtro solar, repelente, chapéu, óculos escuros e roupa de banho!

Turismo TV <p>Bolso con estampados típicos españoles. Foto: Grupo LK</p>
Ver vídeo

Quais lembrancinhas os turistas levam da Espanha? (em espanhol) duração: 2.05

Ver mais vídeos

As mais no Efetur

Tags