Parque no Chile recria enigmática história do limite do mundo

Parque histórico e natural no Estreito de Magalhães recriou a enigmática história da povoação desta terra, nos confins do mundo.

Punta Arenas. EFE/Mario Ruiz

Um extenso parque histórico e natural no Estreito de Magalhães recriou a enigmática história da povoação desta terra, nos confins do mundo, que há 500 anos foi cenário de uma das maiores façanhas do homem: provar que a Terra é redonda.

No começo do século passado, um grupo de moradores de Punta Arenas, no Chile, chegou até este lugar com o afã de reabilitar um antigo forte, mas conforme iam recuperando a construção se deram conta que estavam indo muito mais longe.

Da história da colonização à do fim do mundo

Esse projeto inicialmente queria contar como seus antepassados tinham chegado até um lugar tão recôndito. E quase sem se darem conta, foram reconstruindo a origem da presença chilena no Estreito de Magalhães.

Foi assim que nasceu este parque, situado a 62 quilômetros ao sul da cidade de Punta Arenas, com uma extensão de 250 hectares ao longo de seis quilômetros de costa em frente ao mar do Estreito de Magalhães.

Os atuais promotores do projeto ampliaram a busca para saber mais sobre como é e como esse território foi formado, que formas de vida o habitam e quando o homem chegou a esse extremo sul do hemisfério.

Para isso, o Parque do Estreito de Magalhães convida para uma viagem pela história natural e humana desta terra distante, banhada pelas águas geladas do extremo sul do Chile, rememorando um marco de fundação: a posse do estreito pela república chilena em 1843.

O Forte Bulnes

Seu ponto mais icônico é o Forte Bulnes, a reconstrução histórica do forte fundado em 1843 pelos marítimos chilenos que tomaram posse do estreito. O forte lembra hoje a origem de Punta Arenas e é além disso um passeio tradicional dos moradores da capital de Magalhães.

Forte Bulnes. EFE/Mario Ruiz

Forte Bulnes. EFE/Mario Ruiz

Até então, esse inóspito território fazia parte da jurisdição da jovem República do Chile, mas a soberania sobre a região não era efetiva. O general Bernardo O’Higgins, que foi o primeiro chefe de Estado do Chile independente, se deu conta da importância geopolítica do Estreito de Magalhães, mas foi o governo do general Manuel Bulnes que determinou que o território fosse habitado.

O forte possui várias cabanas e construções elaboradas com barro e palha, uma recriação precisa dos originais de 1941. Há uma pequena capela, um recinto que fazia a função de prisão, a cabana do governador do forte e as modestas casas das poucas pessoas que viviam ali.

Um plácida caminhada de 20 minutos através do Bosque del Viento e se chega ao mirante principal do parque, que tem uma vista panorâmica do norte e do sul do estreito.

Os primeiros habitantes chegaram em navio desde à ilha Chiloé, 2.370 quilômetros ao norte.

As duras condições de vida, com fortes nevadas, os ventos gelados e terras em que mal crescia um punhado de batatas obrigaram anos depois a população a abandoná-la e ir rumo ao norte, o que deu origem à cidade de Punta Arenas.

O Parque do Estreito de Magalhães

Punta Arenas está na beira do caminho do litoral, um percurso de aproximadamente uma hora de duração pela paisagem, a flora e a fauna do Estreito de Magalhães através dos mirantes San Juan, Sarmiento, Estreito, Terra do Fogo e Brunswick.

O Parque do Estreito de Magalhães quis recuperar o patrimônio histórico e natural da região. Os visitantes podem passear pelas frondosos florestas e observar as águas do estreito.

O centro de visitantes é um moderno edifício perto da entrada do parque que oferece uma mostra interpretativa e multimídia sobre a história natural e humana do Estreito de Magalhães.

Centro de Visitantes do Estreito de Magalhães. EFE/Miguel Ruiz.

Centro de Visitantes do Estreito de Magalhães. EFE/Miguel Ruiz.

Em seu terraço dá para contemplar o Porto del Hambre, declarado monumento histórico nacional, mas cujo acesso está restringido por motivos de conservação.

Uma das maiores atrações do parque é a Rotunda da Metade do Chile, lugar fora da área protegida do parque onde está o monolito conhecido como “a metade do Chile”, já que marca a metade do território, levando em conta o limite norte do país até o polo sul.

Turismo TV <p>Bolso con estampados típicos españoles. Foto: Grupo LK</p>
Ver vídeo

Quais lembrancinhas os turistas levam da Espanha? (em espanhol) duração: 2.05

Ver mais vídeos

Tags