A despensa de Budapeste, um dos mercados mais bonitos da Europa

O mercado mais bonito da Europa está à beira do Danúbio, uma visita imperdível para quem vai a Budapeste.

O mercado de Budapeste. Foto: EFE/ Marcelo Nagy.

Quando a Europa viveu, no final do século 19, uma “febre de construção de mercados”, o Nagycsarnok (Grande Mercado) era um de muitos, mas hoje ele, conhecido como “a despensa” de Budapeste está entre os melhores da Europa, e se tornou um ponto imprescindível de peregrinagem para os turistas.

No centro da cidade, ao lado de uma das mais belas pontes da capital da Hungria, o Szabadsag (Liberdade), também chamado de Mercado Central ou de Grande Salão de Budapeste foi projetado pelo arquiteto húngaro Samu Pecz com o eclético estilo “historicista” da época.

Foi inaugurado em 1897 no meio da cidade, que vivia então seu auge de crescimento e construção, em uma época em outros importantes edifícios surgiram, como o majestoso Parlamento e o emblemático Bastião dos Pescadores, no Castelo Real.

O parlamento de Budapeste. Foto: Andrew Shiva/Wikipedia

O parlamento de Budapeste. Foto: Andrew Shiva/Wikipedia

E entre eles Nagycsarnok se destaca, com seu colorido teto, decorado com teto de pirogranito da famosa fábrica húngara de cerâmica Zsolnay, parte obrigatória dos visitantes da cidade.

Visitantes ilustres e locais

Os mais altos dignatários que foram à Hungria admiraram o mercado e passearam por suas barracas, desde o imperador austrohúngaro Francisco José I à princesa Diana na década de 90. Da típica páprica húngara a um entrecot curado do Uruguai, tudo se consegue na “despensa de Budapeste” que, com uma área de 22 mil metros quadrados divididos em três andares, é o quarto lugar do país mais visitado por turistas.

“Belíssimo!”, exclamam alguns italianos sobre sua impressão do mercado, onde passaram mais de uma hora. “No verão o número de visitantes chega a 25 mil por dia, e no inverno a média é de 10 mil”, explicou Levente Kiss, vice-diretor comercial do Escritório de Mercado de Budapeste (Csapi).

Renovado na década de 90, o imponente edifício de ladrilhos e aço conserva sua função original: continua a ser um dos lugares prediletos pelos moradores de Budapeste para comprar os ingredientes mais variados.

Cuidado para não marear

O térreo tem todo tipo de elementos básicos, onde está a maioria dos 300 stands, organizados por blocos: carnes, hortifrutis, laticínios.

No primeiro andar ficam as lojas de presentes, incluindo artesanato, e restaurantes, que oferecem pratos típicos como goulash, langos e salsichas fritas, geralmente acompanhadas de uma palinka, um tipo de aguardente. Conselho: cuidado ao tomar muitas doses e ficar enjoado, já que a base do edifício é inclinada.

“Há uma diferença de 1,6 metro entre as duas pontas do mercado, que originalmente era para tornar mais fácil levar os produtos do lado mais próximo ao rio Danúbio, onde chegavam as mercadorias, até os stands”, contou Kiss.

Em 2013 o Nagycsarnok foi eleito o mercado mais bonito da Europa em uma votação organizada pela rede de televisão “CNN Internacional”.

Marcados com: , , ,
Publicado em Destinos     Gastronomia

Turismo TV <p>Bolso con estampados típicos españoles. Foto: Grupo LK</p>
Ver vídeo

Quais lembrancinhas os turistas levam da Espanha? (em espanhol) duração: 2.05

Ver mais vídeos

Tags