BÉLGICA

Bélgica celebra o verão com exposição de flores no coração de Bruxelas

A terceira edição do Flowertime, que acontece de dois em dois anos, tem como tema “Flores e Frutas”.

EFE/Julien Warnand

Desde ontem, o Grand-Place e a prefeitura de Bruxelas acolhem o Festival Flowertime, que reúne por quatro dias obras de arte feitas por 19 floristas belgas com mais de 100 mil flores para ajudar na recuperação do turismo após os atentados do ano passado.

A terceira edição do Flowertime, que acontece de dois em dois anos, tem como tema “Flores e Frutas” e desta vez conta com a participação de 50 crianças que fabricaram três pequenas peças expostas no Grand-Place e que dão um gostinho do que o público vai encontrar dentro do prédio da prefeitura.

De acordo com Karel Goethals, um dos organizadores, a ideia veio para responder aos apelos das pessoas por um evento com flores na praça mais turística da capital belga.

“As pessoas sempre pediam que nós organizássemos um evento floral. Então, ao invés de fazer um tapete de flores todos os anos, decidimos organizar o Flowertime”, explicou ele à Agência Efe

Segundo Goethals, todas as salas da prefeitura foram decoradas e durante este período o público pode acessar espaços que muitas vezes são restritos. Mas as flores não são o único elemento usado nos tapetes, já que este ano o tema também é fruta.

“Escolhemos essa temática porque permite trabalhar mais a criatividade dos floristas, mas é também uma referência à jardinagem urbana em grandes cidades como Bruxelas, Antuérpia e Gante”, contou.

Pela primeira vez, a organização decidiu chamar crianças para a montagem de duas toalhas de mesa e uma de móvel, expostas na parte externa do prédio. De acordo com Goethals, o objetivo é passar a tradição de fazer tapetes florais às novas gerações.

“A única coisa que poderia prejudicar a participação é a chuva. O terrorismo não é um problema neste momento”, comentou.

O turismo em Bruxelas caiu consideravelmente depois dos ataques terroristas de março de 2016 e, apesar de a cidade estar em plena recuperação, o visitante ainda se surpreende ao ver policiais e militares vigiando as ruas.

Outra novidade deste ano é a “Flowernights”, que combina exposição com degustação de pratos da chef Claude Pohlig, especialista na cozinha floral.

Para Maria Francesch, que trabalha na organização “Flower Carpet of Brussels” e coordena a criação “mais complicada” das crianças, é “impressionante” fazer parte desta mostra de arte.

O Flowertime surgiu em 2013 e acontece a cada dois anos, se alternando ao tradicional tapete floral que cobre a Grand-Place nos anos pares – o próximo está marcado para agosto de 2018.

Segundo Goethals, a exposição surpreende todo mundo, todos os anos, inclusive ele, e apesar de a previsão ser de tempo fechado para o fim de semana na capital belga, parte da exposição acontece em ambientes cobertos.

“Não tem desculpas para não vir”, brincou.

Marcados com: , , ,
Publicado em Dicas