RÚSSIA FOTOGRAFIA

Agência “Tass” abre seu arquivo gráfico para mostrar a biografia da Rússia

“A Tass abre seu arquivo fotográfico: As grandes imagens” é o título da mostra que acontece no centro de exposições Manezh, em frente à Praça Vermelha.

  • EFE\ Virginia Hebrero
  • EFE\ Virgínia Hebrero
  • EFE\ Virgínia Hebrero

Transmitir ao público russo da atualidade o ambiente histórico do país ao longo de quase todo o século XX é o objetivo de uma macroexposição da agência de notícias “Tass”, que exibirá mais de mil fotografias, a maioria delas inédita.

“A ‘Tass‘ abre seu arquivo fotográfico. As grandes imagens” é o título da mostra que acontece no centro de exposições Manezh, em frente à Praça Vermelha, um projeto cultural de dimensões sem precedentes na Rússia e uma autêntica imersão na história recente.

A exposição é o resultado de um árduo trabalho de digitalização e sistematização do maior arquivo gráfico da antiga União Soviética, iniciado pela agência há três anos e no qual foram processadas mais de 850 mil imagens feitas entre 1920 e o fim da década de 1980.

Depois, cerca de mil dessas fotografias foram selecionadas para serem exibidas neste projeto, imagens que refletem importantes eventos do século XX, tanto através de grandes momentos como de pequenas situações cotidianas.

Nas palavras do diretor-geral da “Tass”, Sergei Mikhailov, “o arquivo gráfico da agência é a biografia de todo um país, um testemunho inestimável dos eventos históricos”.

“Atualmente, cresce na sociedade o interesse pelo nosso passado, o desejo de entender como era a vida no país e como isto levou às conquistas grandiosas das quais nos sentimos orgulhosos, e as fotografias são o documento mais honesto e imparcial que nos permite transmitir apenas com o olhar o espírito de uma época”, acrescentou Mikhailov.

A exposição emula o diretório do arquivo gráfico e por isso as imagens estão estruturadas através de 20 conteúdos temáticos.

Os primeiros passos do país na conquista do espaço, as vitórias esportivas, a formação da indústria e da agricultura e o nascimento da moda soviética são alguns dos temas.

Também não podiam faltar momentos de destaque durante a Segunda Guerra Mundial, conhecida na Rússia como a Grande Guerra Patriótica, os grandes projetos de construção, o desenvolvimento do Ártico, eventos culturais, a ciência soviética e as mudanças vividas na capital Moscou ao longo dessas décadas.

No entanto, como destacou a curadora do projeto, Nina Gomiashvili, há “milhares de fotos conhecidas, que são publicadas regularmente e que são famosas não só na Rússia, mas no mundo todo”. “Mas não queria repetir, queria mostrar o trabalho de fotógrafos pouco conhecidos onde também vive a história do país”, acrescentou.

“Por isso, é mais uma exposição sobre pessoas do que sobre imagens fotográficas”, detalhou Nina.

São fotografias, a maioria em preto e branco, muitas delas claramente identificáveis, mas muitas outras curiosas, surpreendentes, que obrigam os visitantes a ler as legendas das imagens para interpretá-las.

Estas mostram grandes multidões em formação, um reflexo dos tradicionais desfiles de tempos soviéticos; de eventos históricos como a conferência de Yalta, na qual os vencedores da Segunda Guerra Mundial dividiram o mundo; de cosmonautas, de cientistas, mas também de gente comum imersa no ambiente da época.

Também de médicos soviéticos enviados para zonas rurais das repúblicas centro-asiáticas, da revisão de um macaco-cosmonauta após seu retorno à Terra de uma missão espacial e de Leonidas Brezhnev, líder durante quase duas décadas da URSS, vestido de maneira informal e descontraído, descansando na Crimeia.

Outro líder soviético, Nikita Kruschev, aparece em diversas imagens, com pessoas comuns, com crianças e com Fidel Castro.

Imagens de uma Moscou em construção e em transformação integram também uma mostra na qual não faltam fotografias do mundo da cultura, que deixa momentos tão chocantes como o encontro das atrizes Gina Lollobrigida e Elizabeth Taylor no Festival de Cinema de Moscou em 1961, vestidas com o mesmo modelo de Yves Saint Laurent.

Outro capítulo se dedica ao incipiente desenvolvimento da moda soviética, com curiosas fotografias de modelos e estilistas.

A exposição, que vai até 24 de novembro, também utiliza tecnologias multimídia que permitem aos visitantes ouvir histórias ao vivo sobre o nascimento das imagens e acompanhar a história de uma determinada fotografia e de seu autor através de um aplicativo para dispositivos móveis.

Marcados com: , , ,
Publicado em Cultura

Turismo TV <p>Bolso con estampados típicos españoles. Foto: Grupo LK</p>
Ver vídeo

Quais lembrancinhas os turistas levam da Espanha? (em espanhol) duração: 2.05

Ver mais vídeos

As mais no Efetur

Tags