ÍNDIA

Governo indiano recomenda a turistas que não usem saia

As palavras de Sharma encontraram rápida réplica no prefeito de Nova Délhi e líder da oposição, Arvind Kejriwal.

Mulheres na Índia. Foto. Cedida por Ecowildlife

O governo da Índia está sugerindo às turistas, nos folhetos turísticos de boas vindas distribuídos no país, que não usem saias.

“Os turistas, quando chegam ao aeroporto, recebem um ‘pacote de boas-vindas’ com um cartão que mencionam coisas a fazer e o que evitar”, explicou o ministro indiano de Cultura e Turismo, Mahesh Sharma.

Recomendações conservadoras

Sharma explicou que recomendam às visitantes que “não saiam de noite em pequenas cidades, não usem saias e que façam uma foto da placa do veículo que utilizarem e a enviem a um amigo”.

Ao ser perguntado pelos jornalistas sobre as recomendações, o ministro contemporizou e indicou que a intenção não era dizer às visitantes o que vestir, mas deixar claro que na Índia há diferentes credos religiosos.

“Que respeitem os lugares de culto; se vai a alguns lugares de culto você cobre a cabeça, em outros tira os sapatos, isso é o que quis dizer”, justificou.

Repercussão rápida

As palavras de Sharma encontraram rápida réplica no prefeito de Nova Délhi e líder da oposição, Arvind Kejriwal, que afirmou no Twitter que “as mulheres tinham mais liberdade de vestir as roupas da sua escolha na época das proibições (textos sagrados indianos supostamente escritos há mais de três mil anos) do que nos tempos de (governo de Narendra) Modi”.

A sociedade indiana está muito sensibilizada com as agressões a mulheres, principalmente desde que em dezembro de 2012 uma jovem estudante foi brutalmente estuprada por um grupo em Nova Délhi em um ônibus em andamento. Ela morreu dias depois por causa dos ferimentos, o que desencadeou uma onda de protestos sem precedentes no país.